Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4
Acessibilidade 5 Alto contraste 6

Vereadores recebem representantes da APAE de Três Barras

Publicado em 21/08/2018 às 16:34 - Atualizado em 21/08/2018 às 16:35

Vereadores receberam visitas da APAE
Créditos: ASCOM Baixar Imagem

                Os 40 anos de atuação da APAE no município de Três Barras e o início da Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Motora marcaram os discursos dos vereadores na sessão da última segunda-feira, 20. Eles destacaram o importante trabalho que equipe gestora, professores, pais e profissionais realizam. Além disso, acompanharam uma apresentação sobre o desempenho da instituição no município.

                A vereadora Siomara Muhlmann Correa (PP), ao utilizar a palavra livre, destacou que o Sistema Único de Saúde, SUS, não dá o devido valor à Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais: “nós precisamos ajudar vocês, eu conheço os recursos que o SUS repassa e é muito pouco, precisamos investir mais”, ao destacar a atuação da entidade no município.

                Já o vereador João Francisco Canani (PSB), parabenizou a atuação da equipe, em especial a da direção a qual atribuiu “alta qualidade de gestão” dos recursos para garantir o serviço em Três Barras.

                Para Cerival da Cruz, o Cidinho (DEM), que também é presidente da casa, é importante reconhecer o trabalho da APAE: “muita gente não sabe, ou não lembra, mas eu era motorista da APAE, um trabalho que sempre me deu muita satisfação, era muito bom trabalhar com essas pessoas”, comentou.

                Os outros vereadores também utilizaram a tribuna para parabenizar a instituição e destacar o trabalho realizado no município.

A APRESENTAÇÃO

                Ao final da sessão, a diretora da APAE de Três Barras, Denise de Souza, promoveu uma micro-palestra aos vereadores e presentes, sobre a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Motora, destacando o que são as deficiências e a importância de adequar os espaços para incluir as pessoas.

                Ao se utilizar da tribuna, destacou que “é a sociedade que precisa se adaptar”, aos excepcionais.

                Ela também apresentou um histórico da instituição no município, fundada em 1978, com início das atividades em 1980, com 18 alunos, e instalações no Centro de Instrução Marechal Hermes.

                Mais tarde, com a sede própria já situada às margens da Avenida Rigesa, o trabalho evoluiu e hoje tem mais de 70 atendidos, desde a área de estimulação até a educação profissional.

                Focada na inclusão, toda a equipe busca esclarecer a sociedade sobre a importância de as pessoas se prepararem para dar a oportunidade adequada às pessoas com deficiência. Ao citar Thais Frota, especialista em arquitetura acessível, Denise finalizou: “Se o lugar não permitir acesso a todas as pessoas, esse lugar é deficiente”.

 


Fotos da Visita

  • {{galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
Fechar