100%

Vereadores debatem desobstrução de valetas e drenagem pluvial

As chuvas que atingem a região desde as últimas semanas já têm apresentado problemas no município. Pelo menos cinco vereadores foram enfáticos na sessão da última segunda-feira, 15, sobre a obstrução de valetas e incapacidade de drenagem pluvial em algumas ruas. Os Edis apresentaram indicações e pronunciamentos na tribuna pedindo providências por parte do executivo. Fabiano José Mendes, o Bano (PSD), pediu através de indicação que o prefeito determine a limpeza geral em todas as valetas existentes no distrito de São Cristóvão. Segundo ele, há vários problemas onde a água não escoa e prejudica a população. “Precisamos de mais ação, mais trabalho”, destacou ao utilizar a tribuna. Já o vereador Edenilson Enguel, também do (PSD), lamentou que esse tipo de ação seja iniciada somente quando a chuva já causa transtornos: “eu alertei que o período de chuvas ia chegar, já havia pedido a limpeza, mas só agora as máquinas chegaram”, desabafou. O vereador destacou que a população já está irritada e que o trabalho só começou após a comunidade se manifestar com fotos nas redes sociais. Ernani Wogeinaki Jr, (PSB), lembrou da Rua Boleslau Polanski, no bairro João Paulo II. Ele afirmou que é necessário tomar providências para facilitar o escoamento de água. As chuvas têm deixado grandes poças, principalmente nas proximidades do Mercado Real: “é necessário construir bocas de lobo para o escoamento pluvial naquela rua”, defendeu. Ele apresentou indicação cobrando solução. O tema também foi debatido por João Canani, PSB, que alertaou para a falta de segurança nas Bocas-de-Lobo existentes. Através de indicação ele pediu a regularização das mesmas. Ele relatou que a falta de proteção pode ocasionar acidentes, como já ocorreu com uma criança no bairro Vila Nova. O vereador defendeu que sejam colocadas as grades nos bueiros: “alguns até tem tampas, mas o espaço é muito grande”, justificou. Ao pedir a parte na fala de Canani, Laudecir José Gonçalves, Barriga (PR), também endossou as palavras do vereador e lembrou que na localidade de Barra Grande, KM 06, há um bueiro onde “cabe uma vaca”, ao ironizar a falta de proteção. Barriga ainda disse que existem vários bueiros abertos na cidade e que há urgência na solução desse problema.

Notícias