100%

Câmara aprova recurso para estudo técnico do desvio do Trânsito de Caminhões

Os vereadores de Três Barras aprovaram na última quarta-feira, 13, o projeto de lei que autoriza a prefeitura a contratar uma empresa terceirizada para realizar o estudo de qual é o melhor traçado no desvio do tráfego de caminhões no município. O tema é um dos principais desafios da cidade que recebe fluxo das rodovias SC 120 e PR 151. De acordo com o texto, a prefeitura fica autorizada a contratar uma empresa de consultoria para elaborar estudos e projetos para execução de um novo traçado interligando as rodovias, e assim, retirar o fluxo de caminhões da Avenida Rigesa. Uma citação da tribuna foi adicionada à ata da sessão, fixando como valor máximo para contratação a importância de R$ 50 mil reais. “O projeto veio do executivo, porém sem um valor máximo para contratação, então pedimos a informação do executivo e recebemos um ofício com a resposta de que o valor não ultrapassaria 50 mil reais”, comentou a vereadora Siomara Muhlmann Correa (PP). O vereador Ernani Wogeinaki Jr (PSB), argumentou que “o projeto veio com essa falha e seria importante que nos próximos constasse no corpo da lei, então que se registre em ata, e que confiando no ofício do executivo, meu voto é favorável”, justificou. Já João Fancisco Canani (PSB), destacou a importância do desvio: “eu estive em São Mateus do Sul quando o então governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), anunciou a obra que liga a cidade de Irati a São Mateus, essa obra deve começar em setembro e depois de finalizada o fluxo de caminhões estoura aqui em Três Barras, é urgente”, defendeu. O vereador Marco Antônio de Souza, Gorguinho (MDB), apesar de favorável, argumentou que “acha estranho que é um projeto autorizando o executivo a contratar uma empresa para ver qual é o melhor traçado, mas pelo que consta as obras já começaram, parece que o projeto está vindo um pouco tarde”, alertou. A votação foi unânime e segue para a sanção do chefe do executivo, Luiz Shimoguiri (PSD).

Notícias

Pagamentos de honorários advocatícios com recursos do Fundeb estão suspensos
Pagamentos de honorários advocatícios com recursos do Fundeb estão suspensos

Estão suspensas todas as decisões que autorizaram o pagamento de honorários advocatícios contratuais em precatórios expedidos pela União para quitar diferenças de complementação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) devidas a Municípios. A decisão foi tomada pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, na sexta-feira, 11 de janeiro, e terá validade até o julgamento pelo plenário da Corte. A questão trata da...

Nota técnica da CNM esclarece dúvidas sobre as estimativas do Fundeb para 2019
Nota técnica da CNM esclarece dúvidas sobre as estimativas do Fundeb para 2019

Todo início de ano, quando são divulgadas as estimativas do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) para o exercício, surgem inúmeras dúvidas dos gestores municipais. Para esclarecer o assunto, a área de Educação da Confederação Nacional de Municípios (CNM) elaborou a Nota Técnica 03/2019. A publicação trata dos valores da receita anual do Fundo, além dos aspectos legais para utilização dos...