100%

Vereadores aprovam projeto de lei para compra de equipamentos para Polícia Militar

Os vereadores de Três Barras aprovaram por unanimidade o projeto de lei que autoriza o município a adquirir equipamentos para a Polícia Militar de Santa Catarina, a fim de facilitar o trabalho desenvolvido pela PM na cidade. Serão investidos até 20 mil reais para aquisição de Drones e Tablets. A pauta teve votação na última segunda-feira, 18. De acordo com o texto, o executivo está autorizado a adquirir o equipamento sugerido pela corporação e cedê-lo para utilização exclusiva em Três Barras. Com recursos próprios, será realizada a compra de 2 Drones, de avançada tecnologia e 1 tablet para o controle das aeronaves. Os equipamentos devem auxiliar o trabalho da polícia no monitoramento, realização de blitz, investigações entre outras ações das ações de polícia ostensiva. O vereador Laudecir José Gonçalves, Barriga (PR), destacou a parceria que vem sendo realizada com o executivo: “nós emitimos o parecer favorável para dar continuidade a um trabalho que a gente vem fazendo com o executivo para ajudar a polícia”, defendeu ao pedir aprovação dos colegas. Para Ernani Wogeinaki Jr (PSB), a aquisição de equipamentos tecnológicos “vai aprimorar o trabalho da PM, que realiza um excelente trabalho no município, apesar do baixo efetivo”, lembrou. Ele destacou ainda a aquisição, no ano passado, de uma viatura para a corporação instalada em Três Barras. Júnior disse que o “executivo municipal, apesar de ser uma atribuição do estado, vem investindo em segurança pública”. Fabiano José Mendes, Bano (PSD), apesar de favorável ao projeto, destacou que o município precisa, também, de desenvolvimento econômico e geração de empregos para melhorar a qualidade de vida das pessoas e evitar que elas entrem no mundo do crime. “Passou uma reportagem no fantástico, no último final de semana, e uma das características das cidades mais seguras do país, é que todas tem grandes empresas e bons empregos”, destacou. O projeto foi enviado para sanção do prefeito Luiz Shimoguiri.

Notícias